Dermeval Saviani

                               
                                              Dermeval Saviani


                                        
Biografia:

Nascido em 25 de dezembro de 1943 em Santo Antonio de Posse, comarca de Mogi Mirim, no interior do Estado de São Paulo. Estudou nas instituições Grupo Escolar de Vila Invernada – periferia de São Paulo, Liceu Salesiano São Gonçalo – onde cursou o ginásio-, Seminário do Coração Eucarístico de Campo Grande.
Em Aparecida do Norte deu início à sua formação superior entre os anos de 1962 e 1963, no curso de filosofia da entidade, e deu continuidade aos seus estudos na PUC-SP, inclusive graduando-se em educação.

Atualmente é professor da mesma universidade na qual se formou, além de desenvolver, desde sua formação até os dias atuais, diversos projetos e pesquisa na área educacional, especialmente defendendo a análise crítica dos conteúdos agregada ao ensino das matérias comuns da escola.

Dermeval Saviani é grande educador que vivenciou um período de mudanças no nosso país, a exemplo da transição na educação durante a consolidação do período democrático que vivemos na atualidade, acompanhando, além das transformações sociais, as transformações na história da educação brasileira, acentuando os pontos positivos e negativos que as modificações no processo educacional refletiram no dia-a-dia, e teve uma visão progressista sobre a educação. Ele foi o fomentador da teoria histórica-crítica que também é conhecida como crítico-social dos conteúdos e tem como objetivo principal relação e transmissão de conhecimentos significativos que contribuam para a inclusão social do educando.

Através da análise de algumas obras do autor, é possível perceber que embora este se mostre otimista – apresentando soluções para melhorar o sistema educacional no país, a partir de uma análise histórica dos fatos -, Saviani apresenta sua obra de maneira realista, destacando os erros de um sistema de educação que desde os primeiros passos letivos foi corrompido e repleto de falha.
Dermeval Saviani - Algumas Obras

                                                  
  Escola e Democracia, São Paulo: Cortez Autores Associados, 1986
  Educação - Do Senso Comum a Consciência Filosófica, São Paulo: Cortez Autores Associados, 1980.
  Ensino Público e Algumas Falas sobre Universidade, São Paulo: Cortez Autores Associados, 1985.
  Sobre a Concepção de Politécnica Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 1989
 A Pós-Graduação em Educação no Brasil, Florianópolis/São Paulo: UFSC/Cortez, 2002
  A Questão Pedagógica na Formação de Professores, Florianópolis: Endipe, 1996
  A Nova Lei da Educação-Trajetória, Limites e Perspectivas, Campinas: Autores Associados, 1999
  Pedagogia Histórica-Crítica, primeira aproximações, Campinas: Autores Associados, 2000
  Política e Educação no Brasil -O Papel do Congresso Nacional na Legislação do Ensino, São Paulo, Cortez, 1987
  Da Nova LDB ao Novo Plano Nacional de Educação -Por Uma Outra Política Educacional, Campinas, Autores Associados, 1998 


Dermeval Saviani - Concepções de Escola, Ensino e Aprendizagem.

            As obras de  Dermeval Saviani tem como características marcantes a analise da sociedade brasileira em vários momentos histórico. No seu livro “Escola e Democracia”, Saviani procura esclarecer a situação da Educação e a sua relação com a sociedade ao longo do tempo; o livro aborda uma síntese   clara e didática as principais teorias da educação. Ele parte do fenômeno da marginalização e da concepção de sociedade que as principais teorias da educação trazem. No livro Saviani dá ênfase às teorias não-críticas e apresenta as principais diferenças existentes entre a pedagogia tradicional, pedagogia nova e a pedagogia tecnicista.
            O autor contribui para o avanço das condições subjetivas necessárias ao cumprimento de grande tarefa por ele mesmo anunciado como prioritárias: a defesa e a produção de uma educação pública de qualidade para todos os brasileiros. Onde fala das correntes pedagógicas que influenciaram o panorama da educação brasileira nas últimas décadas.
            Demerval Saviani conclui deixando em evidência a relação entre educação e sociedade e que a responsabilidade dos professores é a de transformar cada aluno seu para que compreenda seus direitos e deveres para a efetivação de uma nação melhor para se viver. Assim, a partir de suas idéias a educação brasileira passou a ser analisada de dois modos: antes e depois de Dermeval Saviani.  




 ESCOLA
    Em sua obra, “Escola e Democracia” (1987),  Dermeval Saviani  trata das teorias da educação e seus problemas, explanando que a marginalização da criança pela escola se dá porque ela não tem acesso a esta, enquanto que a marginalidade é a condição da criança excluída. Ele apresenta a escola como o local que deve servir aos interesses populares garantindo a todos um bom ensino e saberes básicos que se reflitam na vida dos alunos preparando-os para a vida adulta.     Saviani avalia esses processos, explicando que ambos são prejudiciais ao desenvolvimento da sociedade, trazendo inúmeros problemas, muitas vezes de difícil solução, e conclui que a harmonia e a integração entre os envolvidos na educação – esferas política, social e administração da escola podem evitar a marginalidade, intensificando os esforços educativos em prol da melhoria de vida no âmbito individual e coletivo.
.   A escola é valorizada como instrumento de apropriação do saber e pode contribuir para eliminar a seletividade e exclusão social, e é este fator que deve ser levado em consideração, a fim de erradicar as gritantes disparidades de níveis escolares, evasão escolar e marginalização.
     Através da interação do professor e da participação ativa do aluno a escola deve possibilitar a aquisição de conteúdos – trabalharem a realidade do aluno em sala de aula, para que ele tenha discernimento e poder de analisar sua realidade de uma maneira crítica -,  e a socialização do educando para que tenha uma participação organizada na democratização da sociedade, mas Saviani alerta para a responsabilidade do poder público, representante da política na localidade, que é a responsável pela criação e avaliação de projetos no âmbito das escolas do estado e município, uma vez que este é o responsável pelas políticas públicas para melhoria do ensino, visando a integração entre o aluno e a escola.  
Saviani alerta, que o fracasso escolar é reflexo de fatores externos, tais como saúde, fatores psicológicos e cognitivos, bem como a ordem familiar.  
   A escola não resolve todos os problemas dos alunos, em contrapartida pode compensá-los mostrando que eles são capazes de desenvolver seu intelecto e contribuir para melhorar a sua própria vida. A escola é o local que prepara a criança, futuro cidadão, para a vida, e deve transformar valores éticos e morais aos estudantes, e para  que cumpra com seu papel que é acolher o aluno com empenho para verdadeiramente transformar suas vidas.
  
Segundo Freire, “Não devemos chamar o povo à escola para receber instrução, postulados, receitas, ameaças, repreensões e punições, mas para participar coletivamente da construção de um saber, que vai além do saber de pura experiência feito, que leva em conta as suas necessidades e o torne instrumento de luta, possibilitando-lhe transformar-se em sujeito de sua própria história(...).
Sendo assim, o que permitirá colocar em destaque o verdadeiro papel da escola elementar: ”a escola é uma instituição cujo papel consiste na socialização do saber sistematizado” (SAVIANI,2005,p.14).
ENSINO

           O ensino na concepção de Saviani significa produzir o saber, fazer com que aqueles que fazem parte do processo consigam absorver os conteúdos e transformar o meio onde vive em um local com igualdade de oportunidades
           A pedagogia tradicional trata a educação como a correção da marginalidade, e tem como função equalizar a sociedade; outra teoria abordada é a teoria tecnicista, que consta de propostas pedagógicas com enfoque sistêmico, buscando profissionalizar o aluno.
    Em sua obra Escola e Democracia, Saviani busca contextualizar as correntes pedagógicas, iniciando pela pedagogia tradicional, que tem como objetivo organizar a escola e garantir a educação, que é um direito de todos e dever do estado, transformando os estudantes em cidadãos, que devem assimilar o acervo cultural transmitido pelo professor; a educação e os personagens envolvidos no contexto como reprodutores das desigualdades sociais e destaca o papel da escola enquanto aparelho ideológico do estado, dividindo a burguesia e o proletariado.
 Segundo o autor, a educação é concebida como “produção do saber”. Pois o homem é capaz de elaborar idéias, possíveis atitudes e uma diversidade de conceitos. O ensino como parte da ação educativa é vista como processo, no qual o professor é o “produtor” do saber e o aluno “consumidor” do saber. A aula seria produzida pelo professor e consumida pelo aluno.
    
    É possível perceber que em sua pesquisa, Saviani busca fomentar suas afirmações a partir de diversas fontes, consolidando assim seu pensamento e buscando transmiti-lo aos educadores que tem acesso à sua obra da maneira mais clara possível.  A educação é entendida como o ato de produzir, direta e indiretamente, em cada individuo singular, a humanidade que é produzida histórica e coletivamente pelo conjunto dos homens, isso significa que a educação é entendida como mediação no seio da prática social global. Demerval Saviani, como teórico da educação, classifica as teorias educacionais em teorias crítica ou não - criticas. Como exemplo de teorias não-crítica temos a pedagogia tradicional (preconiza o professor como centro do processo de ensino a ao aluno cabe aprender o que lhe é transmitido, sem ter o direito de questionar, preconiza o “aprender”), a pedagogia nova (defende a escola como um meio de equalização social, enfatizar o “aprender a aprender”), propondo uma ampla modificação na aparência das escolas, com salas de aulas de aspecto mais agradável e mais alegre. Entre outras teorias  Demerval Saviani cita: a teoria do sistema de ensino enquanto violência simbólica (como exemplo temos a violência material imposta pela classe dominante, o que  também provoca uma violência cultural, o que vemos claramente na ação pedagógica institucionalizada, ou seja, no sistema escolar.
      Saviani conclui suas observações no livro “Escola e Democracia” (1987), que o ensino não é somente pesquisa, onde o professor tem a função de estudar determinado tema e transmitir aos seus alunos, mas sim um artifício que deve ser utilizado de maneira inteligente, propondo atividades que permitam a resolução de problemas através do questionamento deles, levantamento de hipóteses pertinentes e experimentações, fazendo com que o aluno assuma a responsabilidade de sua própria capacidade de pensar e de se posicionar perante os desafios da vida.

APRENDIZAGEM

        Aprender é desenvolver a capacidade de processar informações e organizar dados resultantes de experiências ao passo que se recebe estímulos do ambiente. O grau de aprendizagem depende tanto da prontidão e disposição do aluno quanto do professor e do contexto da sala de aula. Como passo inicial o professor precisa verificar aquilo que o aluno já sabe por procurar escutar e observar. O aluno por sua vez procura compreender o que o professor tenta explicar. Quando ocorre a transferência de aprendizagem significa que o aluno conseguiu sintetizar as informações e passou a ter uma visão mais clara superando assim sua visão confusa e parcial.
  Ao analisarmos a história da educação, percebemos que um dos fatores que contribuem para os baixos índices de aprendizagem é a evasão escolar, corrente desde os primórdios da educação no país, tornando mais difícil a construção da base educacional da nação, uma vez que grande parte da população não conta com um modelo de educação efetivo que sirva de modelo para futuras adaptações.
     É relevante ressaltar que o saber educacional, aquele que envolve a disciplina e o intelecto do aluno é importante, para que ele tenha base em uma sociedade que o pontua, seja nas provas da escola, do vestibular ou no alcance de metas em um futuro emprego, mas é preciso também durante o processo de aprendizagem, preparar esse aluno para saber se posicionar e analisar com maior profundidade e tenha uma capacidade de opinar, julgar, que deve ser trabalhada ainda na escola, preparando de fato, o cidadão para o futuro.
    Enquanto os interesses educacionais não beneficiarem o povo, que verdadeiramente necessita deles para melhorar sua situação perante a sociedade, a educação brasileira não avançará, em termos de melhora qualitativa, pois as políticas públicas para a educação nacional não visam outro alvo senão interesses políticos, que buscam evitar qualquer reformulação que possam fazer o povo prosperar, e prejudicar o poder.
   

Referências:
DERMEVAL SAVIANI. Disponível em <http://pt.wikipedia.org/wiki/Dermeval_Saviani>. Acesso em 10 novembro 2011.
DERMEVAL SAVIANI. Disponível em < http://www.fae.unicamp.br/dermeval/index2.html> . Acesso em 10 novembro 2011.
FREIRE. Paulo. Conscientização- Teria e prática da libertação ao pensamento de Paulo Freire.  Editora Centauro. São Paulo.  1980

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 17ª Ed. São Paulo: Autores associados, 1987.

SAVIANI, I. Dermeval; II LOMBARDI, José Claudinei; III. SANFELICE, José Luis. História e história da educação: O debate teórico-metodológico atual. 1ªed: São Paulo: Autores associados, 1998.

Um comentário:

  1. Muito bom, toda vez que preciso eu tenho sempre em mãos. trabalho de Faculdade é excelente pra quem estuda a noite.
    Apesar de Seminário, mas é muito gratificante pra mim e pra meu grupo.

    ResponderExcluir